Mãos Talentosas e "Antifrágeis"

Nas condições em que ele nasceu, pode-se dizer que todas as circunstâncias já haviam orquestrado seu fracasso. Ele tinha tudo para dar errado na vida: era um garoto negro em uma época completamente dominada por brancos, cresceu sem um pai, possuía baixa condição financeira e temperamento explosivo. Chegou até a adolescência acreditando ser incapaz, mas com o tempo suas escolhas o tornaram hoje uma inspiração para qualquer pessoa negra que sonha grande. Mais do que isso: Benjamin Carson, médico cuja formação passou pelo que há de melhor nas instituições acadêmicas do mundo, é uma inspiração para qualquer pessoa que fala “eu não consigo”.



Dotada de uma sensibilidade ímpar, a obra dirigida por Thomas Carter e protagonizada por Cuba Gooding Jr, intitulada de “Mãos Talentosas: A História de Ben Carson” retrata a história de vida deste homem, que atualmente é neurocirurgião pediátrico, psicólogo, escritor, professor, filantropo e político estadunidense. Os mínimos aspectos pitorescos da trajetória de Carson são retratados no longa de 2009, o qual põe em cheque contrastes sociais ao expor o desbalanceamento de oportunidades que um jovem negro e pobre precisa enfrentar caso queira ter sucesso na vida.



Ainda que o foco muito recaia sobre a questão étnica e econômica, o filme evita o clichê de insistir nisso – uma armadilha da qual muitos não conseguem escapar. É verdade que a crítica é realizada de forma explícita e até absurda em certos momentos, a exemplo de certo discurso preconceituoso por parte da professora de Ben. Na maior parte dos 90 minutos, contudo, o roteirista John Pielmeier foge do óbvio e deixa uma crítica sutil em eventos aparentemente inocentes, mas igualmente relevantes que um jovem negro e ambicioso acaba enfrentando na sua trajetória. Não entendeu? Sugerimos, então, que se pergunte: durante o filme, você viu Ben conversando com médico ou até mesmo algum colega de profissão negro? Pois é, fica aqui a reflexão para outras tantas críticas escondidas que acabaram passando despercebidas...


A obra, ainda, traz um ensinamento para a vida através de uma mentalidade antifrágil, análoga ao que Nassim Nicolas Taleb traz em seu livro “Antifrágil: Coisas que se Beneficiam com o Caos”. Aparentemente, Ben, fortemente apoiado e incentivado por um forte laço com sua mãe, transformou cada fator limitante que se apresentava para ele em apenas mais um combustível para chegar ao ápice da sua carreira. Esta mentalidade nos ensina que o sucesso não é determinado pelo fato de você enfrentar ou não obstáculos, mas por sua reação a eles, como defenderia o ilustre Benjamin Solomon Carson.


Deixar aqui o trailer do filme não seria o suficiente para vocês conceberem a mensagem transmitida por este. Em vez disso, fica aqui uma recomendação de vídeo por parte do SYNAPSE para vocês assistirem sempre que estiverem se sentindo incapazes, derrotados, fracassados ou desmotivados: https://youtu.be/VpeuGOAGYC4.


E você, já assistiu a esse filme? Fala para a gente então: o que você achou? Curtiu? Virou fã de Ben Carson que nem a gente? Queremos saber a sua opinião, comenta aqui embaixo e compartilha com os amigos!